Mercadão

Bom Dia!

Quando alguém fala do Mercado Municipal de São Paulo, nosso famoso “Mercadão”, duas coisas imediatas vem na nossa memória: o lanche de mortadela e o pastel de bacalhau. Claro que o local tem outras coisas interessantes, deliciosas e caras, como as mais variadas frutas, doces, temperos, carnes, cereais, queijos e gente, muita gente. Mas nem sempre a cidade teve um mercado desse porte e com essa elegância.

Existiu na região da rua 25 de Março, esquina com a rua General Carneiro o Mercado dos Caipiras, que por décadas era o local onde chacareiros e sitiantes (os caipiras) dos bairros mais afastados e das cidades vizinhas vendiam seus produtos. Vale lembrar que outro mercado também era responsável pela distribuição de mercadorias pela cidade, esse ficava na avenida São João e era conhecido como “Mercadinho da São João”.

O "Mercado Velho", também conhecido como "Mercado dos Caipiras", aparece ao fundo a direita. mais acima (onde está o carimbo) está o Pátio do Colégio (nessa época, Largo do Palácio), do lado esquerdo, a Igreja do Carmo. Postal de Guilherme Gaensly circulado em 1901. O mercado seria remodelado em 1907 e seria chamado de "Mercado Novo".
O “Mercado Velho”, também conhecido como “Mercado dos Caipiras”, aparece ao fundo a direita. Mais acima (onde está o carimbo) está o Pátio do Colégio (nessa época, Largo do Palácio), do lado esquerdo, a Igreja do Carmo. O mercado, que foi inaugurado em 1867 seria remodelado em 1907 e seria chamado de “Mercado Novo”, foi demolido entre 1938-39. Postal editado por Guilherme Gaensly e circulado em 1901.
Fotografia tomada de ponto próximo à Rua Formosa em direção à Praça Antônio Prado, por volta do ano de 1908.  O Mercadinho de São João se situava exatamente onde hoje está a Praça do Correio e foi demolido entre 1915 e 1917, por ocasião da grande remodelação da então Rua de São João. Foto de Guilherme Gaensly  - Acervo Casa da Imagem
Fotografia tomada de ponto próximo à Rua Formosa em direção à Praça Antônio Prado, por volta do ano de 1908. O Mercadinho de São João se situava exatamente onde hoje está a Praça do Correio e foi demolido entre 1915 e 1917, por ocasião da grande remodelação da então Rua de São João. Foto de Guilherme Gaensly¹

Em 1928*, com o crescimento da cidade, os velhos e ultrapassados mercados já não representavam a imponência da capital paulista e então, por iniciativa do então prefeito José Pires do Rio, foi autorizada a construção de um novo mercado. A construção, que demorou 4 anos para ficar pronta, foi um dos últimos grandes edifícios erguidos com a intenção de consolidar São Paulo como a metrópole do café.

Ficou a cargo do renomado arquiteto paulista Francisco Paula Ramos de Azevedo a construção do novo mercado. São 12.600 metros quadrados em estilo eclético, como mandava a moda na Itália, Alemanha e França. O prédio é inspirado nos mercados, catedrais e ferroviárias europeias. Suas colunas são em estilo grego, dórico e jônico. Já os 72 vitrais alemães, são obra do artista russo Conrado Sorgenicht Filho em estilo gótico, ilustram a produção agrícola e pecuária do interior paulista, especialmente a colheita do café.

1927 - Vista da fachada da avenida do Estado
1927 – Vista da fachada da avenida do Estado
1927 - Vista geral do terreno livre, tomada das proximidades da rua Florêncio de Abreu em direção ao bairro do Pari. No plano médio, à esquerda, rua Comendador Afonso Kherlakian.²
1927 – Vista geral do terreno livre, tomada das proximidades da rua Florêncio de Abreu em direção ao bairro do Pari. No plano médio, à esquerda, rua Comendador Afonso Kherlakian.²
1927 - Vista do Edifício do Restaurante²
1927 – Vista do Edifício do Restaurante²
29-09-1929 -  Vista da estrutura em metal e madeira para a cúpula do telhado.²
29-09-1929 – Vista da estrutura em metal e madeira para a cúpula do telhado.²

A obra foi finalizada em 1932, porém, armas e munições foram os primeiros produtos estocados em seu interior. Era a Revolução Constitucionalista. Conta-se que alguns soldados treinavam pontaria mirando as cabeças das figuras nos vitrais. Após o final do conflito, finalmente em 25 de janeiro de 1933, é inaugurado o Mercado Municipal de São Paulo

1930 – Vista do interior do edifício ²
1930 – Finalização das obras do interior²
Mercado já na década de 1930 em fotografria de Benedito Junqueira Duarte,
Mercado já na década de 1930 em fotografria de Benedito Junqueira Duarte,

*Observação: em todas as fontes consultadas, é dado como ano do início da construção 1928, porém, como podermos observar pela marcação do Escritório Técnico Ramos de Azevedo, as imagens estão datadas com o ano de 1927. 

Fontes: Arquivo Histórico Municipal / Casa da Imagem / Portal da Prefeitura de São Paulo
Fotos: ¹ Casa da Imagem de São Paulo / ² Arquivo Histórico Municipal Washington Luis.

Essa publicação surgiu graças a sugestão da amiga Maria Paula Cosme

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. Dário Bizzo disse:

    O mercado que existia anteriormente era o mercado dos caipiras?
    Teria sido projeto do eng. inglês Benneton?

    Curtir

    1. feherculano disse:

      Sim, anterior ao Mercadão (da Cantareira), existiu o dos Caipiras… não sei dizer que projetou o local.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s