A Igreja do Rito Antigo

Bom Dia!

São Paulo é realmente uma cidade cheia de surpresas. As vezes não percebemos essas pequenas coisas devido a correria cotidiana ou porque simplesmente a cidade cresceu e esqueceu de seu passado e de sua história.

A simpática igrejinha abaixo é a Igreja Ortodoxa do Rito Antigo, fica na rua dos Junquilhos, no bairro de Vila Alpina, Zona Leste da Capital. A rua não é movimentada, fica numa parte mais interna do bairro e realmente só quem é da região que acaba passando pelo local.

GEDSC DIGITAL CAMERA

(…)Para os leigos, os fiéis da Igreja Ortodoxa do Rito Antigo, são denominados staroveri, ou seja, velhos crentes. Mas os próprios fiéis se tratam pela designação “staroobratsi, que quer dizer “os seguidores do velho ritual”. 

A comunidade staroveri da cidade de São Paulo, ainda na primeira metade do século XX, se comunica com outras paróquias e autoridades religiosas, principalmente da Letônia. Em uma dessas correspondências, um pequeno artigo foi enviado sobre a comunidade staroveri paulista e foi publicado em um livro publicado na Lituânia:

GEDSC DIGITAL CAMERA

“Em 1929, o presidente do Conselho Central dos Ortodoxos do Rito Antigo que residiam na Lituânia, Sr. Aristarch Stepanovich Efremov, veio à América do Sul e visitou o Brasil, o Uruguai e a Argentina. O motivo dessa viagem era justamente conhecer as condições de vida e as possibilidades dos staroobratsi de sua comunidade virem a imigrar para algum desses países.

GEDSC DIGITAL CAMERAEsse senhor verificou que para essa comunidade em particular as melhores condições se encontravam no Brasil e mais exatamente nas proximidades de São Paulo, onde já residiam algumas famílias de staroveri (lembrando que a região de Vila Zelina e parte da Vila Alpina foi habitada principalmente por imigrantes da Letônia, Lituânia, Russia e etc²). Baseado nas opiniões do Sr. Efremov, cerca de 300 famílias imigraram para cá e se estabeleceram em fazendas e nos subúrbios de São Paulo.

Durante muitos anos eles viveram dispersos, mas em 1935 construíram uma igreja de seu rito, a única da América do Sul, que uniu os staroveri vindos em outras épocas e de vários países. Essa igreja recebeu o nome de Santíssima Trindade.(…)¹

A igreja, apesar de escondia e praticamente desconhecida pela maioria dos paulistanos está bem preservada e conservada. Não sei quando ocorrem as celebrações, infelizmente sempre que passo por ela, está fechada.

 

GEDSC DIGITAL CAMERA

 ¹ As informações sobre a igreja são da tese de mestrado de Vorobieff, Alexandre. “Identidade e Memória da Comunidade Russa na Cidade de São Paulo”, 2006, páginas 100/101.  

² Nota adicionada por Felipe Alexandre Herculano/Sampa Histórica

 

 

Anúncios

4 comentários Adicione o seu

  1. gloria maria alexandre herculano disse:

    Muito bacana saber da história por trás de lugares que fazem parte do nosso cotidiano, e nem sempre percebemos.

    Curtir

  2. Alexsander Loula disse:

    Felipe, sensacional e parabéns!

    Curtir

  3. Republicou isso em Sampa Históricae comentado:

    Bom Dia!
    São Paulo e suas surpresas.

    Curtir

  4. Luan disse:

    Demoliram a igreja esse ano

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s