Fui no Saracura beber água não achei…

Boa Noite!

O Tororó da antiga cantiga popular já deu lugar ao “Itororó”, antigo riacho que cortava a região onde hoje está a avenida 23 de maio e agora dá lugar ao “Saracura”, outro riacho soterrado por uma avenida…Talvez os moradores da região pensassem ainda em “como era verde o meu vale”… vivam em uma cidade que crescia, enquanto a sua cidade desaparecia…
O vale em questão era o do Saracura, que corria onde hoje temos a avenida 9 de Julho. A primeira alusão registrada sobre o ribeirão do Saracura, cognominado de “rio misterioso” por alguns cronistas antigos de São Paulo, foi em uma notícia de 26 de março de 1724.

O Vale do Saracura, registrado pelas lentes de Vincenzo Pastore, c. 1910. Acervo do IMS
O Vale do Saracura, registrado pelas lentes de Vincenzo Pastore, c. 1910. Acervo do IMS. Para mim, uma das fotos mais lindas da velha São Paulo.

Chamado também de córrego do Tanque Reiuno, o Saracura nascia no morro do Caaguaçu (avenida Paulista) para vir desembocar, à esquerda do rio Anhangabaú, na altura do antigo largo da Memória, ao pé de onde hoje está a Estação Anhangabaú do Metrô. Tinha dois afluentes, o córrego Saracura Pequeno, e o Ribeirão do Bexiga que, após atravessar as atuais ruas Santo Amaro e Santo Antônio encontrava suas águas próximo ao final do seu trajeto. Os carros de bois e as tropas que conduziam mantimentos para São Paulo, vindos de Atibaia e de Parnaíba, como entravam na cidade pelo oeste, deviam estacionar na chácara do Bexiga, entre os rios Anhangabaú e Saracura, ordenava o governador Lorena, em 1791.¹

Abertura da avenida Nove de Julho. No centro a Praça Pedro de Toledo (atual 14 Bis) - Sem autoria conhecida, possivelmente de algum engenheiro da obra. Fotos encontradas em um site de leilões por Luis Eduardo Salvucci Rodrigues.
Abertura da avenida Nove de Julho. No centro a Praça Pedro de Toledo (atual 14 Bis), 1937. Foto sem autoria conhecida, possivelmente de algum engenheiro da obra. Fotos encontradas em um site de leilões por Luis Eduardo Salvucci Rodrigues.
Abertura da avenida Nove de Julho. 1937.  Viaduto Nove de Julho em obras. Sobre ele, o Belvedere Trianon. Foto sem autoria conhecida, possivelmente de algum engenheiro da obra. Fotos encontradas em um site de lilões por Luis Eduardo Salvucci Rodrigues.
Abertura da avenida Nove de Julho. 1937. Viaduto Nove de Julho em obras. Sobre ele, o Belvedere Trianon. Foto sem autoria conhecida, possivelmente de algum engenheiro da obra. Fotos encontradas em um site de lilões por Luis Eduardo Salvucci Rodrigues.

As obras para a construção da avenida Nove de Julho foram iniciadas em 1929, na gestão do prefeito Pires do Rio que pretendia que esta corresse no meio de um parque desde o vale do Anhangabaú até a Avenida Paulista, mas logo coram interrompidas por conta da crise econômica, sendo retomadas apenas em 1935 pelo prefeito Fábio Prado e inaugutada em 25 de Janeiro de 1941 pelo então prefeito Prestes Maia. O túnel, foi considerado a maior obra viária urbana daquela época, com seus 460 metros de comprimento, escavados 30 metros abaixo da Avenida Paulista, causando o assombro dos adultos e a delícia das crianças que por ali transitavam.²

Abertura da avenida Nove de Julho, sentido Centro, dá pra ver o Martinelli lá no fundo, ainda reinando absoluto. Foto sem autoria conhecida, possivelmente de algum engenheiro da obra. Fotos encontradas em um site de lilões por Luis Eduardo Salvucci Rodrigues.
Abertura da avenida Nove de Julho, sentido Centro 1937. Dá pra ver o Martinelli lá no fundo, ainda reinando absoluto. Foto sem autoria conhecida, possivelmente de algum engenheiro da obra. Fotos encontradas em um site de lilões por Luis Eduardo Salvucci Rodrigues.

O nome da avenida remete a uma data relevante na história de São Paulo, o dia 9 de julho de 1932, data do início da Revolução Constitucionalista de 1932. Atualmente, a avenida funciona como ligação dos bairros da zona sul ao centro da cidade e é considerada uma das vias “arteriais” da cidade.

Não sei se é possível dar nova vida ao rio, mas sei que é possível deixar a cidade mais humana, como a dessas fotos.

Abertura da avenida Nove de Julho, na altura da Alameda Itu. Acredito que seja o Saracura sendo canalizado. Foto sem autoria conhecida, possivelmente de algum engenheiro da obra. Fotos encontradas em um site de lilões por Luis Eduardo Salvucci Rodrigues.
Abertura da avenida Nove de Julho, na altura da Alameda Itu. Acredito que seja o Saracura sendo canalizado. Foto sem autoria conhecida, possivelmente de algum engenheiro da obra. Fotos encontradas em um site de lilões por Luis Eduardo Salvucci Rodrigues.
Abertura da avenida Nove de Julho, 1937 No canto esquerdo, parte do Belvedere Trianon. Fotos sem autoria conhecida, possivelmente de algum engenheiro da obra. Fotos encontradas em um site de lilões por Luis Eduardo Salvucci Rodrigues.
Abertura da avenida Nove de Julho, 1937 No canto esquerdo, parte do Belvedere Trianon. Fotos sem autoria conhecida, possivelmente de algum engenheiro da obra. Fotos encontradas em um site de lilões por Luis Eduardo Salvucci Rodrigues.

Fontes: ¹Saudade Sampa / Agência USP de Notícias / ² Dicionário de Ruas de São Paulo e Blog de pesquisas do Sr. Egydio Coelho da SIlva

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s