Memórias do Sr. Takeda (e do Itororó)

Boa Tarde!

Republiquei recentemente no Facebook, a publicação da foto abaixo, com o texto que se encontra na legenda:

1941 - Foto Familiar de Miriam Torres - Vale do Itororó - Acervo Pessoal
A foto foi enviada pela leitora Miriam Torrês. Na imagem estão Rosa (sua mãe), uma amiga e Nair (sua tia). As três estão sentadas no alto do vale, vale esse conhecido como Itororó, por onde passa atualmente a Avenida 23 de Maio. Nesse campo de futebol, seu tio costumava “jogar bola”. Sua mãe, que atualmente está com 93 anos diz que de um lado ficava a Avenida Itororó e do outro a Rua Maestro Cardim. Toda essa região era cortada pelo Rio Anhangabaú, que tinha sua nascente no atual bairro do Paraíso, pouco a pouco, porém, o Vale do Itororó, nome emprestado de um córrego existente à altura da atual Rua Condessa de São Joaquim, passou a predominar, e a designação Vale do Anhangabaú ficou restrita à área atual. Foto de 20/10/1941 Acervo Pessoal Miriam Torrês.

O Sr. Tomomasa Takeda nasceu e mora em Tóquio, mas passou uma parte da vida em São Paulo. Chegou à cidade aos 14 anos de idade, em 1959, e viveu por aqui até os 37, em 1982.  Por aqui ele cresceu, trabalhou, estudou, conheceu a esposa e teve três filhas brasileiras que hoje moram com ele no Japão. Há muitos anos não vê a cidade, mas por tudo que viveu aqui conserva um afeto especial por ela.¹

Conheci o Sr. Takeda graças as redes sociais, que para o bem, é capaz de aglutinar pessoas com um interesses e paixões em comum, nesse caso a nossa boa e velha São Paulo. Ele participa de um grupo que tenho sobre a cidade e quando alguma publicação mexe com suas lembranças, ele nos revela seu baú de memórias!

Foi o que aconteceu com a foto do Vale do Itororó, região viva em sua memória pois ele residiu na rua Rocha, na Bela Vista, bem no período em que o vale em questão passava por profundas mudanças. As fotos abaixo e as legendas foram publicadas por ele e são uma viagem no tempo.

1966 - Vale do Itororó - Altura da Rua Pedroso - Tomomasa Takeda
“Esta foto é minha no ano 1966, e acho que foto acima foi tirada mesmo lugar que a minha ou seja rua Pedroso. Com 24 anos de diferença a paisagem mudou mas podemos ver o cano de água. O leito de rio Itororó mudou mas continua mesma .”

Até finais do século XIX, a região por onde corre esta avenida, entre a Praça das Bandeiras e até a Rua do Paraíso, era um fundo de vale que dividia os bairros da Liberdade e da Bela Vista. Conhecido como “Vale do Itororó”, por ele corria a céu aberto o Ribeirão do Anhangabaú.

Com a abertura de diversas ruas nesta região a partir de 1900, surgiu a “Rua Itororó”, entre as atuais Ruas Condessa de São Joaquim e Pedroso. Este nome, “Itororó”, era uma referência ao córrego de mesmo nome que desaguava no Anhangabaú.

1967 - Vale do Itororó - Altura da Rua Pedroso - Tomomasa Takeda
“Mesmo lugar no ano 1967, já começou a escavação e o rio foi encanado. Os negativos destas fotos eu cedi ao fotógrafo profissional Gilberto Calixto e agora detém os créditos e o acervo”.
1967 - Vale do Itororó - Obras da Avenida 23 - Altura da Rua Pedroso - Tomomasa Takeda
“Tenho mais duas fotos minha para registrar as obras de avenida 23 de Maio, visto pela viaduto Pedroso em 1967. Aliás como tamanho de negativo é metade, foto acima é não repetitiva. Pode ver é a foto consecutiva de esquerda a direita.”

Em 1928, através da Lei nº 3.209 de 31 de Julho, o então prefeito J. Pires do Rio aprovava um novo projeto para a então “Av. Itororó” desde a Rua João Julião e até a Rua Paraíso. Começava assim a ser delineada a futura Av. 23 de Maio. Porém, a construção dessa avenida demoraria ainda alguns anos, pois somente em 1969 ela seria entregue ao tráfego.

Entre as décadas de 1930 e 1940, a via passou a ser conhecida como “Av. Anhangabaú”, entendida que foi como um prolongamento do “Parque do Anhangabaú”. O nome definitivo de “Av. 23 de Maio” foi proposto em 1954, mais exatamente na sessão da Câmara Municipal do dia 05/05/1954, através do Projeto de Lei nº 170/54. Este projeto foi assinado pelas Comissões de Justiça, de Educação e de Finanças e Orçamento, o que representava a maioria dos vereadores.

1967 - Vale do Itororó - Viaduto Rua Pedroso - Vinda do Príncipe do Japão - Tomomasa Takeda
“Outra foto do Viaduto Pedroso, uns dias antes da inauguração no ano 1967, a foto abaixo foi para registrar a vinda do casal de príncipes japoneses no mesmo ano. O casal chegou dia 25 de maio de 1967.”

Construída em etapas, em 1968 as obras estavam quase prontas. Cinco viadutos estavam concluídos: Dona Paulina, Brigadeiro Luís Antonio, Jaceguai, Condessa de São Joaquim e Pedroso. Faltava o Viaduto da Rua João Julião, perto do hospital da Beneficência Portuguesa. A preocupação dos engenheiros foi fazer com que a 23 de Maio fosse uma avenida expressa, evitando os cruzamentos de nível. Mesmo incompleta, a população já podia contar com a avenida, construída para ligar o centro à zona sul, desafogando o trânsito da Av. 9 de Julho.

1967 - Vale do Itororó - Viaduto Rua Pedroso - Ponte Provisória - Tomomasa Takeda
“Outra foto da construção do Viaduto Pedroso. A foto abaixo é a imagem dos últimos dias do rio Itororó em céu aberto. Foto acima é uma ponte provisório para pederestres”
1967 - Vale do Itororó - Leito do Rio e Ponte Provisória - Tomomasa Takeda
Outra foto, a de cima é uma visão do antigo leito e outra é a passagem de pedestre (a segunda, pois no começo foi só para pedestre e não tinha o tubo) mas como mudou desde 1941 ou seja 26 anos depois.”
1967 - Vale do Itororó - Tubos e Ponte Provisória - Tomomasa Takeda
“Veja a passagem de pedestre original, que onde só podiam passar pedestre. A foto debaixo mostra os tubos para passar as águas do rio Itororó”

A data de “23 de maio”, nome desta avenida, relembra um dos mais importantes episódios ocorridos durante a “Revolução Constitucionalista de 1932″. Na verdade, os acontecimentos daquele dia podem ser considerados como que um estopim da revolta armada que viria em seguida, opondo as forcas paulistas contra o governo federal que, naquela época, era chefiado por Getúlio Vargas.²

ATUALIZAÇÃO EM 10/02/2016

O sr. Takeda gostou tanto da publicação, que resolveu mandar mais fotos do seu acervo. Algumas delas, conforme ele mesmo disse, é a primeira vez que são publicadas. Confiram essa “novas” relíquias.  As datas das fotos são do mesmo período das anteriores, entre 1966/1967.

1966 - Foto Esquerda tirada desde Rua Jaceguai vendo viaduto Cond. S. Joaquim. Lado direita é Rua Humaita vendo a direção da futura avenda - Tomomasa Takeda
“Foto da esquerda tirada da Rua Jaceguai vendo viaduto Condessa de São Joaquim. A foto do lado direito é Rua Humaitá em direção da futura avenida.”
1966 - Canalização do Itororó visto da r. Pedroso - Viaduto Pedroso - Tomomasa Takeda
“Obras de canalização do riacho do Itororó”
1966 - Construção do Viaduto Pedroso 2 - Tomomasa Takeda
“Obras de construção do viaduto Pedroso”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1966 - Construção do Viaduto Pedroso - Com Estação do Metrô que não ocorreu - Tomomasa Takeda
Conforme o memorialista Gilberto Calixo Rios: “conforme já expliquei em outras ocasiões, existiu um plano de fazer a linha sul do metrô correndo pelo canteiro central da 23 de Maio, mas foi abandonado, assim como essa estação e outra que teria sido no viaduto Dona Paulina. Já funcionou nesse local, alguns órgãos da prefeitura, mas atualmente as instalações estão sem uso e em abandono.”
1966 - Arredores da Rua Pedroso - Seg. R. Jaceguai e Vd. Cond. S. Joaquim - Tomomasa Takeda
Essa é uma das fotos inéditas nas redes. A foto acima é dos arredores da Rua Pedroso. A debaixo é a R. Jaceguai em direção ao Viaduto Condessa de São Joaquim”
1966 - Construção do Viaduto Jaceguai - Tomomasa Takeda
1966 – Construção do Viaduto Jaceguai e da avenida 23 de maio” As fotos lado a lado foram um panorama.
1966 - Construção do Viaduto Pedroso - Tomomasa Takeda
“Construção do Viaduto Pedroso”
1966 - Obras na Rua Pedroso - Tomomasa Takeda
“Obras na Rua Pedroso” Essas fotos também formam um panorama.
1966 - Rua Jaceguai em direção ao Vd. Cond. S. Joaquim - Foto Abaixo Direção Oposta
“Outra foto tirada desde rua Jaceguai vendo a direção do Viaduto Condessa de São Joaquim. A foto abaixo é visto outro lado do mesmo viaduto. Mas após a construção, mudou muito principalmente foto acima. Era campo e não parece que ia passar a avenida. Acho que antes tinhas as casas e foram demolidas (não tenho certeza, só minha opinião)”

 

Fontes:
¹ O pequeno resumo sobre o sr. Takeda, foi retirado dessa matéria, feita pelo pessoal do …quando a cidade, nela vocês podem conferir algumas outras fotos feitas por ele aqui em Sampa.
² A história da avenida 23 de maio foi retirada desse site http://www.spbairros.com.br/avenida-vinte-e-tres-de-maio/

Conforme dito no texto, as fotos originais foram feitas pelo Sr. Tomomasa Takeda e os negativos e a PROPRIEDADE desse acervo atualmente é do fotógrafo e memorialista Gilberto Calixto Rios. Elas foram GENTILMENTE cedidas para essa publicação, portanto, se vai retirar as fotos daqui para postar no seu Facebook, blog, ou grupo de debates, seja ético, valorize o fotógrafo, o acervo, o pesquisador e o blogueiro. CITE AS REFERÊNCIAS E FONTES.
Não é uma questão ego como muitos dizem, é uma questão de profissionalismo no ramo da pesquisa história e memorial. 

 

 

 

Anúncios

4 comentários Adicione o seu

  1. Mario disse:

    Em 1955, eu era criança e nadava no rio Itororo. depois fiseram a benificiencia portuguesa e virou puro esgoto, ainda hoje moro na rua humaita 107é exatamente o oposto desta foto.Tinha um campo de futebbol, entre a humaita e condessa de são joaquim…se tiver fotos por favor publique …as minhas foram perdidas.

    Curtir

    1. Meu nome é João, nasci em 47 Rua B. de Ijui, era socio do Eden, brincava no campo de football neste período, tem certeza que te conheço.

      Curtir

  2. Republicou isso em e comentado:

    Boa Tarde!!!
    Não, não é repeteco…
    O Sr. Takeda abriu ainda mais o baú e nos mandou mais fotos da região do Itororó.!

    Curtir

  3. Sergio de Pinho Moreira disse:

    Cheguei atravessar da Rua Vergueiro Ponto do Bonde – Santo Amaro por uma modesta ponte de madeira, para a na ocasião a Nova Beneficência Portuguesa, fazendo uma visita à uma parturiente

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s