A História das Ruas – Rua Florêncio de Abreu

Boa Noite!

Na São Paulo do século XVI, a atual Rua Florêncio de Abreu já se apresentava como um dos principais caminhos da capital. Naquela época, ela era utilizada por tropeiros e bandeirantes que se dirigiam ao interior. Entretanto, e nos limites da cidade, aquele caminho era também uma grande referência pois fazia a ligação do núcleo central (a colina histórica) com o então chamado “Campo da Luz” ou do “Guaré” (também conhecido como “Guarepe”). Por isso, o primeiro nome desta rua foi “Caminho do Guaré” e, mais tarde “Caminho da Luz”.

Rua da Constituição, atual Rua Florêncio de Abreu, em direção ao Largo São Bento, em, 1862. Do lado direito, a antiga Igreja de São Bento - Foto de  Militão Augusto de Azevedo - Album Comparativo da Cidade de São Paulo Casa Duprat Versão 2
Rua da Constituição, atual Rua Florêncio de Abreu, em direção ao Largo São Bento, em, 1862. Do lado direito, a antiga Igreja de São Bento – Foto de Militão Augusto de Azevedo – Album Comparativo da Cidade de São Paulo Casa Duprat Versão 2
Rua Florêncio de Abreu,  Antiga Miguel Carlos - Foto tirada do Seminário Episcopal em 1862 - Fotografia de Militão A. Azevedo - Album Comparativo de São Paulo Casa Duprat Versão 2
Rua Florêncio de Abreu, Antiga Miguel Carlos – Foto tirada do Seminário Episcopal em 1862 – Fotografia de Militão A. Azevedo – Album Comparativo de São Paulo Casa Duprat Versão 2
1887 - Rua Florêncio de Abreu e do lado direito a Igreja de São Bento - Foto de Militão Augusto de Azevedo - Álbum Comparativo de São Paulo Casa Duprat Versão 2
1887 – Rua Florêncio de Abreu e do lado direito a Igreja de São Bento – Foto de Militão Augusto de Azevedo – Álbum Comparativo de São Paulo Casa Duprat Versão 2
Rua Florêncio de Abreu em 1887 - Fotografia de  Militão Augusto de Azevedo - Albúm Comparativo de São Paulo Casa Duprat Versão 1
Rua Florêncio de Abreu em 1887 – Fotografia de Militão Augusto de Azevedo – Albúm Comparativo de São Paulo Casa Duprat Versão 1

Posteriormente, entre os anos de 1782 a 1786, na administração do Governador e Capitão General Francisco da Cunha Menezes, este logradouro recebeu vários melhoramentos. Por essa época, ela transpunha a chácara do Dr. Miguel Carlos Aires, procurador da Coroa durante o período de 1786 a 1788. Por este motivo, ela passou a ser conhecida como “Rua Miguel Carlos”. Entretanto, e como se trata de uma rua muito antiga, existem referências que nos mostram esta mesma rua (e naquela mesma época) com o nome “Rua do Marechal”, sendo que outros historiadores falam ainda de um trecho da mesma denominada como “Rua da Figueira de São Bento”.

Rua Florencio de Abreu (Descida do antigo Miguel Carlos) em 1887 - Fotografia de Militão Augusto de Azevedo - Albúm Comparativo de São Paulo Casa Duprat Versão 2
Rua Florencio de Abreu (Descida do antigo Miguel Carlos) em 1887 – Fotografia de Militão Augusto de Azevedo – Albúm Comparativo de São Paulo Casa Duprat Versão 2

Já no século XIX, a rua recebe o seu primeiro nome oficial: “Rua da Constituição”, homenagem ao juramento da primeira Constituição do Brasil Independente, que ocorreu aos 25/03/1825. Nessa época, a rua chegou a ter, simultaneamente, duas denominações: “Rua da Constituição” no trecho entre o Largo de São Bento e a “Ponte do Anhangabaú” (atual Viaduto Florêncio de Abreu) e “Rua Miguel Carlos”, após aquela ponte. Em 1881, este logradouro teve o seu nome alterado para “Rua Florêncio de Abreu”, uma homenagem ao então Presidente da Província que  muito se empenhou para que o governo dispendesse a quantia de 100 contos de réis com o calçamento da rua.

Rua Florêncio de Abreu em 1914 - Autoria Desconhecida - Albúm Comparativo de São Paulo Casa Duprat Versão 1
Rua Florêncio de Abreu em 1914 – Autoria Desconhecida – Albúm Comparativo de São Paulo Casa Duprat Versão 1
Rua Florêncio de Abreu em 1914 - Vejam a torre da nova Igreja de São Bento - Autoria Desconhecida - Álbum Comparativo de São Paulo Casa Duprat Versão 2
Rua Florêncio de Abreu em 1914 – Vejam a torre da nova Igreja de São Bento – Autoria Desconhecida – Álbum Comparativo de São Paulo Casa Duprat Versão 2
 Rua Florêncio de Abreu em 1914 (Antiga Miguel Carlos) -  Autoria Desconhecida - Albúm Comparativo de São Paulo Casa Duprat Versão 2
Rua Florêncio de Abreu em 1914 (Antiga Miguel Carlos) – Autoria Desconhecida – Albúm Comparativo de São Paulo Casa Duprat Versão 2
Rua Florêncio de Abreu em 1914 - (Descida do Antigo Miguel Carlos) - Sem Autoria - Álbum Comparativo de São Paulo - Casa Duprat Versão 2
Rua Florêncio de Abreu em 1914 – (Descida do Antigo Miguel Carlos) – Sem Autoria – Álbum Comparativo de São Paulo – Casa Duprat Versão 2
A rua Florêncio de Abreu, em fotografia de Guilherme Gaensly. Acervo na foto.
A rua Florêncio de Abreu, em fotografia de Guilherme Gaensly. Créditos na foto.

Florêncio Carlos de Abreu e Silva nasceu em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, em 20 de outubro de 1839. Veio para São Paulo em 1857 e matriculou-se na Faculdade de Direito de São Paulo. Recebeu o grau de bacharel por essa Faculdade em 1862. Voltando ao Rio Grande do Sul iniciou a sua carreira política como deputado provincial e como brilhante jornalista. Em 1880, com o falecimento do Duque de Caxias, abriu-se uma vaga no senado sendo para ela escolhido o Dr. Florêncio de Abreu em 27 de setembro daquele ano. Nomeado presidente da província de São Paulo, exerceu o elevado cargo de 07 de abril a 05 de novembro de 1881. O seu delicado estado de saúde obrigou-o a retirar-se para o Rio de Janeiro, onde veio a falecer no dia 12 de dezembro de 1881.¹

Cartão postal circulado em 1907 e com edição de Guilherme Gaensly, mostra a Rua Florêncio de Abreu com vista tomada em direção ao Largo São Bento.  À esquerda (ao fundo), a esquina da Rua Paula Souza entre as residências do engenheiro Paula Souza e de Fernando Paes de Barros. À direita (ao fundo), o gradil e o jardim da antiga casa do Barão de Tatuí.
Cartão postal circulado em 1907 e com edição de Guilherme Gaensly, mostra a Rua Florêncio de Abreu com vista tomada em direção ao Largo São Bento. À esquerda (ao fundo), a esquina da Rua Paula Souza entre as residências do engenheiro Paula Souza e de Fernando Paes de Barros. À direita (ao fundo), o gradil e o jardim da antiga casa do Barão de Tatuí.

¹ Dicionário de Ruas de São Paulo
As fotos com uma espécie de moldura, foram retiradas dos Álbuns Comparativos de São Paulo, e suas versões, do Acervo da Biblioteca Mário de Andrade.

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. Marta Ferro disse:

    Arquitetura muito rica, maravilhosa,imprecionante!!!!!

    Curtir

  2. Delinger Tavares disse:

    Muito bom, mesmo. Eu, como paulistano, não poderia deixar de ler e visualizar essas belas imagens.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s